Achei meu iPhone recuperar já é outra história!

Sunday, October 28, 2012 – 154 views

— by produtividades

Veja abaixo de como um iPhone foi achado mas não recuperado. Saiba porque:

Sexta feira final de tarde, estava eu saindo do trabalho quando recebo uma notícia de que um iPhone de um colega havia sido roubado.

Quando chego em casa, não demorou muito, este me ligou:

"Sei que você é meio nerd e gosta dessas coisas, poderia me ajudar a apagar os dados do meu iPhone que foi roubado?"

Respondi que sem problemas e que poderíamos até achar se ele tivesse a senha. Lógico ele não tinha a senha do icloud, primeiro entramos no icloud.com e solicitamos nova senha. Ele me encaminhou o email da apple e finalmente, após 2 horas, conseguimos entrar no icloud.

Quando entramos fui direto ao buscar o iPhone e nada. Depois de um tempo, enquanto ele estava decidindo se apagava ou não o celular, o tela acusou que tinha achado o iPhone bem como a localização. Neste momento ele saiu direto para delegacia e eu coloquei nos grupos do facebook solicitando ajuda do que fazer.

A situação era: localizado a menos de 1 minuto, com 14% de bateria.

Conversa vai conversa vem, fazendo o boletim de ocorrência, a bateria foi rapidamente caindo até que desapareceu.

LR logo avisou no facebook:

"Tem que ir na polícia militar, ela é responsável por este tipo de atividade"

Foi quando apareceu a segunda localização, liguei novamente informando e meu amigo disse que iria informar o delegado e este respondeu confirmando:

"O serviço de investigação funciona de segunda a sexta, assim deverá esperar até segunda para eles investigarem. Que bom que está com a localização desta forma mostra para eles na segunda que vai ajudar bastante."

Orientei que deveria buscar ou uma viatura da polícia militar ou telefonar para a mesma e ele me respondeu que já estava na delegacia e se eles solicitaram para aguardar até segunda feira ele iria obedecer e esperar.

De acordo com as informações obtidas no Facebook:

"A policia civil tem, resumidamente, três tipos de plantão: patrimonial, flagrante e especiais. O patrimonial esta ali para fazer segurança do prédio, que possui informação e materiais sensíveis estocados ( drogas e armas) e que não podem ficar sem vigilância constante. O plantão de flagrante, destinado a receber ocorrências e presos prendidos pela PM na área circunscricional (que compreende, geralmente, a mais de uma cidade, principalmente no interior). Os especiais, geralmente 1 por cidade, nas maiores cidades, destinados a eventos de grande impacto (roubo a banco, p.e.).

Dos plantões citados, somente o de flagrante tem liberdade para sair. Contudo a saída deles é extremamente evitada, já que a equipe que recebe ocorrências e presos geralmente é composta de somente 4 detetives (ou investigadores, dependendo do estado). Esses investigadores são responsáveis pela segurança do prédio (em tese, o delegado e o escrivão ficam responsáveis para fazer os APFs e TCOs), movimentação de presos dentro da delegacia e para ambientes externos (exames no IML e deslocamentos até prisões), receber ocorrências e materiais e conferir o que chega."

No sábado surgiu um comentário de uma pessoa referindo que aconteceu a mesma coisa com ela, mas a policia não pode entrar na casa, somente com mandato.

Veja o comentário referente a nossa realidade brasileira:

"Tem umas coisas que são duro de aguentar. Essa do mandado é uma. Existem elementos que indiquem que o telefone está dentro da casa do sujeito. Nesses casos, a polícia pode entrar. Se achar o celular, beleza! Cana no ladrão. MAS, se não achar, sobra para o policial! Qual o estímulo um profissional pode ter de fazer algo que, se der certo, tapinha nas costas. Se não, ferro! O mesmo ocorre em perseguição veicular. Se pegar o fujão, beleza. Agora, se bater o carro, falar que estava em perseguição não adianta nada. Vai responder administrativamente pelo dano na viatura, com direito a desconto no salário do valor devido. Isso sem falar na possibilidade de responder criminalmente. É por isso que cada vez menos se vê policial correndo atrás de bandido..."

Final da história? iPhone apagado e o dono aguarda o término da investigação.

Esta história foi escrita e demonstrar os fatos de ordem cronológica com o objetivo de informar e ajudar na tomada de decisão nesta hora crítica.

Principal lição aprendida: nunca descuide de seu celular, talvez assim, não precisará passar por isso. Não esqueça que estamos no Brasil e que um aparelho que custa na média de 1000 a 2000 reais desbloqueado chama MMUUIITTTA atenção e como a polícia tem as limitações descritas acima temos que nos cuidar.

Caso aconteça: procure primeiro a Polícia Militar demonstrando todas informações. É ela que, pelo seu efeitivo maior e capacidade de mobilização rápida é a instituição capaz de atender o cidadão. À Polícia Civil, caberá receber o boletim de ocorrência e proceder às demais investigações, de forma a preparar o terreno para uma ação penal.

Veja aqui o passo a passo de como recuperar e testar o icloud via WEB e usar a função achar meu iPhone.

Ótima sugestão em um comentário no facebook:

Robert Web Master André Di Guimarães, a única solução para isso é fazer seguro do aparelho. Sai por mais ou menos R$ 110,00 por ano e você pode andar tranquilo.


0 Replies – 0 Reposts – 0 Stars


Discussion

Link to Conversation on ADN